quarta-feira, 12 de março de 2008

Anelo (Érica)

Ansia de tocar tua pele vibrante de desejo
Afã de beijar-te às margens do teu anseio
Empenho em saciar tua mirada de impaciência
Ambição do corpo em balançar-se na paixão

Mania das mãos cobiciosas ao teu perfume
Agonia constante ante a tua ausência
Ardor nos poros expressando angustia
Apetencia que no vento se propaga


Avidez da mente luxuriosa por tuas noites
Apetite insaciável dos lábios que te recorrem
Sede de esperança em alcançar tua vontade
Pretensão pujante pelo gozar do amor


Cobiçar tua silhueta desdenhosa ao andar
Beber os ares que acompanham teu suspirar
Radiante olhar ante o prazer de amar
Exalar um “te amo” antes de recomeçar.

4 comentários:

Everaldo Ygor disse...

OLá...
Obrigado pela visita em Outras Andanças...
E a poesia, sensual como deve Ser... O prazer de escrever, poetar - viver intensamente toda essa vibração. Olhar, o cheiro, o tato, e a mulher que deseja o recomeçar dos dias - Erótico no seu tempo, belo no seu limite, suspiro poético para os dias...
Muito Bom!
Abraços
Everaldo Ygor
http://outrasandancas.blogspot.com/

lenekuhnen disse...

Nossa! como a fúria do amor, que nos enlaça e lança a voracidade do prazer
Contaminando os poros suados e dilatados de prazer...
Muito gostoso de ler e sentir ...
Belo e obrigada pelas palavras calientes na bela língua espanhola

Denise Machado disse...

"Beber os ares que acompanham teu suspirar"
Ah, estou tão carente...
Esse poema invadiu meu peito, me aqueceu.
Adorei vir aqui, demorei demais, tenho que vir com frequencia.
Beijão!

Rita Costa disse...

Bom dia, Erica.
Muito bom seu poema!
Sensualidade transborda nas palavras. Gosto de poesia assim, que a livre alma do poeta passeia nos versos. Muito bacana esse seu espaço aqui!
Bjus...