sexta-feira, 2 de maio de 2008

Paixão (Érica)

Minha língua a tua pele recorre
Tua pele os meus seios excita
Minha boca teu mel recolhe
Teu perfume no meu corpo fica


Minhas mãos em tuas curvas se perdem
Tuas pernas nas minhas se embaraçam
Nossas almas na paixão se fundem
Nossos corpos num espasmo se abraçam


Como posso apagar tais lembranças
Como posso esquecer cada momento
Se juntas éramos quais crianças
Vivendo numa terra de encantamento


Como deusas nascidas para amar
Vivendo cada dia sem pensar
Numa mescla de loucuras e desejos
Uma mistura de paixão, abraços e beijos.

Hoje sinto um vazio que me consome
Não consigo dormir, não tenho fome
Fecho os olhos e os teus olhos vejo
Meu corpo arde em chamas de desejo

Peço a Deus que amenize meu sofrimento
Peço ao vento que espalhe meu desencanto
Imploro aos céus que a ti levem meus abraços
E que sejas muito feliz como fui em teus braços.

3 comentários:

Andréia Santana disse...

Oi! andei lendo seu blog, e esse poema foi você quem faz??? muito lindo!!!
Bjos, Andréia Santana.

Tyaguim disse...

Caramba...
Ótimo!!!
Prazer em ler...
"Como posso apagar tais lembranças
Como posso esquecer cada momento
Se juntas éramos quais crianças
Vivendo numa terra de encantamento"
Melhor parte. A que define melhor, ao meu ver, a paixão...
Creio que todos, passaram ou passarão por isso!

Andréia Santana disse...

Oi Érica! estou lhe enviando um mimo: http://www.andreiasantana.com/2008/06/mimos.html , porque adoro seu blog. Bejos, sucesso sempre, e um bom final de semana. Andréia