domingo, 20 de setembro de 2009

Entre o que fomos e o tempo (Érica)

Reclining Nude, Zinaida Serebriakova

Tanto tempo faz,
tanto, tanto
que nem me lembro mais
Se era dia ou noite,
na verdade tanto faz


O tempo que passou e
o que o tempo levou
não se recupera mais


Mesmo depois de tanto tempo
Ainda me queimo em desejos
ao pensar no meu corpo
recoberto com teu beijos


Sinto minha carne arder
ao lembrar do teu calor
dos momentos de prazer
e das noites de amor

Tanto tempo faz
tanto já que me deixaste

E eu ainda a perguntar:
Onde estás rara flor,
Quem estás a abraçar,
Quem terá o teu amor?

Na verdade tanto faz
Com quem estás ou com quem vais
Se o pensamento a mim te traz
É porque o vento desse tempo
me leva sempre ao mesmo cais
Eu insisto com o tempo
que ele venha arrancar
teu cheiro do meu corpo
teu gosto do meu paladar.
Mas não adianta lutar
contra o tempo que se foi
contra o que está e o que virá

Porque entre o que fomos
e o tempo

Resta o que sou
e o sofrimento.