domingo, 11 de fevereiro de 2018

...



A distância física aliada à distância temporal  fazem com que consigamos lançar um outro olhar sobre os momentos vividos.   As lembranças se tornam mais aguçadas, vivas, latentes e nos levam, muitas vezes, a reviver os instantes com tanta clareza, que somos capazes de sentir novamente os toques, os cheiros, os sabores.  Acessamos tão intensamente as recordações, que sentimos o corpo arrepiar, o coração acelerar e a alma gelar...

Esses dias tenho  revivido tantos momentos bons, que parece até que, de repente, consegui abrir um baú de memórias felizes, que  ao contrário da "Caixa de Pandora" que geralmente abro, me trouxe um mar de lembranças boas, das quais faço questão de não esquecer, as quais não quero apagar da minha memória, pois são elas que me fazem lembrar que eu já vivi e que me dão esperanças de continuar vivendo.

Nenhum comentário: